O Allan Wajnberg é proprietário da Tunghat`s Resort, uma hospedagem para cães incrível no Estado do Rio de Janeiro. Ele também já é colunista da KIDS in desde que lançamos a revista impressa láááá atrás em 2009. E ele volta aqui na nossa versão online para dar dicas sobre pets nesse especial de férias. Dá uma olhada:

As férias estão aí e a pergunta que não quer calar é: com quem deixar seu pet durante uma possível viagem? Tem gente que fica anos sem pegar a estrada (ou avião) por não ter com quem deixar seus pets ou até mesmo por não confiar em ninguém para essa tarefa. Cuidado na hora de escolher o que fazer com seu animal durante uma viagem é fundamental. Veja o que fazer em cada situação.

Deixar o pet com conhecidos (amigos, parentes, empregados)

férias com seu pet asdrubal-e-luiEsta é uma boa opção pela questão de confiança. Há quem deixe o animal na casa de alguém, ou em sua própria casa, para que uma pessoa vá ao local todos os dias fazer a limpeza e trocar a alimentação. É preciso lembrar, no entanto, que muitas pessoas não entendem nada sobre cães e, às vezes, nem gostam muito de bichos. Se o animal vier a apresentar algum problema de saúde, como sangue nas fezes, febre ou falta de apetite, o responsável por cuidar do seu pet pode não perceber ou até interpretar a questão como algo simples. É preciso dar indicações sobre o que fazer em casos como esses (recomendo deixar o contato do veterinário, além do dinheiro para eventuais despesas extras). Ainda assim, a vantagem é que, deixando o animal em casa, ele não vai se estressar com mudanças de rotina, ambiente, pessoas e alimentação.

Levar o bicho junto em viagens de carro

férias com seu pet transporteExistem cães que adoram andar de carro, mas há os que são muito agitados ou que passam mal no transporte. Se você estiver fazendo uma viagem curta, acho uma boa opção. Mas, se for um trajeto de mais de duas horas, a situação pode ser estressante para o animal. O importante é transportá-los com segurança: dentro de caixas de transporte (em que eles possam dar uma volta completa); ou com cinto de segurança para cães (que pode ser encontrado em pet shops). De acordo com o Código Nacional de Trânsito, cachorro solto no carro ou no banco da frente é considerada infração média e resulta em multa de R$ 130,16* e perda de 4 pontos na carteira. Para o caso de cachorros soltos na caçamba de pick-ups, a multa é ainda maior por ser infração grave, R$ 195,23*, e a perda é de 5 pontos. Para além do problema da multa, é preciso lembrar que, se não estiver protegido, existe o risco de o animal pular pela janela ou, numa freada brusca, ser arremessado para o banco da frente.

E o destino?

Se estiver indo para casa de amigos, verifique antes se eles têm cachorro e quais são seu porte e temperamento para não ter confusão.

Atenção também à questão das pulgas e carrapatos! Se o destino for um hotel, veja antes se o estabelecimento aceita pets. Nos hotéis que aceitam, os cães geralmente ficam no quarto do dono. Por isso, se você quiser sair com a família para algum programa, ele provavelmente terá que ficar no quarto esperando. Normalmente, nos  hotéis que aceitam cachorros, os bichos não são aceitos nas áreas comuns como restaurante, piscina ou salão de jogos.

Lembrando também que muitos estabelecimentos só aceitam cães de porte pequeno. Geralmente a ração fica por conta do dono e nenhuma tarifa extra é cobrada.

Levar o animal de avião

Neste caso, quase sempre as viagens são mais longas e a movimentação dentro do aeroporto pode ser estressante para os cachorros. Só podem viajar de avião cães com mais de 4 meses de idade e com todas as vacinas em dia. O animal deve ser transportado em caixas onde ele possa dar a volta completa em torno de si, feitas de material resistente, livres de saliências ou protuberâncias e à prova de vazamentos. Essas caixas vão no porão do avião, que é devidamente pressurizado e com temperatura igual à da cabine. Animais com mais de 30 quilos devem ser transportados como cargas ou pelo próprio check-in. Em viagens longas, os bichos devem ser sedados pelo cliente cm a supervisão de um veterinário. As empresas aéreas não transportam cães da raça bulldogue e nenhuma das suas variações.

Esse tipo de serviço para animais abaixo de 30 Kg custa em torno de R$ 90 mais o peso do animal e caixa multiplicado pelo valor correspondente a 1% da tarifa cheia do trecho a ser percorrido. Para animais transportados na cabine costumam ser restritos a animais de até 5 ou 10 kg, contando a caixa, dependendo da companhia e o valor cobrado é de aproximadamente R$ 200 por trecho.

Deixar o pet em um hotel especializado

férias com seu pet brincandoMuitos ainda têm uma imagem equivocada sobre hotéis para cachorros, como se esses locais fossem sujos, com muitos cães juntos, pulgas, carrapatos e fedor. Hoje em dia os serviços nessa área se profissionalizaram. Sua maior preocupação deve ser com hotéis que deixam os cães em gaiolas, onde eles passeiam apenas duas vezes ao dia. Isso é muito desgastante emocionalmente para os bichos. Por isso, pesquise sobre o hotel: converse com os responsáveis, tire todas as suas dúvidas, veja fotos do local e, se possível, vá atá lá conhecer. Há hotéis hoje que oferecem uma área limpa, com muita recreação como passeios, brincadeiras com outros cães e até piscina.

férias com seu pet espelho-dagua

Atenção para as vacinas. Ligue para o local e veja quais são as exigências.

Geralmente, nessas hospedagens, você pode ter contato por telefone, e-mail e até whatsapp para conseguir notícias do seu cão sempre que desejar. Não esqueça de explicar aos responsáveis pelo local sobre as manias, temperamento e doenças do seu cão.

Pense com calma e boas férias e boa viagem com (ou sem) seu pet!

*Valores de 2018

Allan Wajnberg é pai da Clara, louco por cães (e outros bichos), zootecnista e proprietário da hospedagem para cães Tunghat`s Resort.

 

Foto de capa, 2, 3 e 4 por Tunghat`s Resort e TH Project; Foto 1 do acervo pessoal da diretora da KIDS in, Cynthia Jacques

Responder