Os bichos viraram parte das famílias. Afinal, a combinação criança e cachorro é tão boa que já é, inclusive, considerada como forma de terapia para diversos casos! Sabendo disso, muitos lugares se tornaram pet friendly. Mas uma coisa é muito importante: cães e seus donos devem ser educados e respeitarem as regras do lugar e também as pessoas à volta. Então, nosso querido colunista Allan Wajnberg, proprietário da hospedagem para cães Tunghat`s Resort compartilhou conosco algumas dicas para que as famílias, incluindo seus pets, façam bonito onde quer que estejam nessas férias!

Pense rápido: em quantos lugares você desiste de entrar porque cachorros não são aceitos e você está com seu amigo de quatro patas ao lado? Pois saiba que essa cena triste pode se tornar cada vez mais incomum. O mercado pet vem crescendo (e muito), e aceitar cães em lojas, restaurantes e shoppings pode ajudar o estabelecimento a ter uma receita maior.

Só para se ter uma ideia, no fim de 2012, foi criado um selo chamado Pet Friendly, para certificar hotéis e pousadas que recebam bem os animais. O que conta nesse caso são as lixeiras exclusivas para as fezes dos bichos, os bebedouros com água fresca para os pets, convênios com pet shops e veterinários, a possibilidade de o dono dormir com o animal de estimação no quarto e a receptividade. Larissa Rios, que é idealizadora do selo, acredita haver uma grande diferença entre somente aceitar animais e ser pet friendly. “Há lugares, por exemplo, em que os donos precisam carregar sempre os bichos no colo e que não são possuem um serviço pensado para os animais. É aí que entra a certificação”, defende Larissa – e nós, também apoiamos.

Mas, se de um lado é bom ver o investimento por parte dos proprietários de estabelecimentos, por outro é importante uma contrapartida por parte dos donos dos bichos. Você já refletiu sobre como agir quando está com o seu cachorro em locais públicos? Vou dar aqui dez dicas que podem ser bem úteis:

1) Esteja ciente das normas de cada estabelecimento ou local e respeite-as.

2) Tente ensinar alguns comandos básicos para o seu cachorro antes de levá-lo a locais fechados e que tenham outras pessoas.

3) Use a focinheira caso seu cão seja muito grande ou de raça considerada violenta.

4) Se o seu cachorro não lida bem com estranhos – se ele se assusta ou tenta sempre proteger o dono de quem não conhece – avise a todos que se aproximarem.

5) Cachorro limpo sempre! Cheiroso, sem pulgas ou carrapatos.

6) Respeite as pessoas em volta. Nem todo mundo gosta de cachorros e muita gente tem medo. Por isso, só deixe que seu bicho se aproxime de estranhos se ele for chamado.

7) Coleira e uma distância segura de você são requisitos para evitar confusões com outros bichos e pessoas.

8) Carregue sempre um saquinho para recolher as necessidades. Isso é obrigação do dono!

9) Há pessoas que preferem levar seus bichos a estabelecimentos que os aceitam quando eles não estão no auge da energia do dia. Passear com o cachorro antes ou alimentá-lo pode fazer com que ele fique mais relaxado e, assim, mais sociável.

10) Se alguma coisa sair do controle, assuma a responsabilidade.

Tenho certeza de que, quanto mais as pessoas sentirem que os cães e seus donos podem ser educados, mais estabelecimentos serão abertos aos pets.

Allan Wajnberg é pai da Clara, louco por cães (e outros bichos), zootecnista e proprietário da hospedagem para cães Tunghat`s Resort.

Responder